sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A Senhora dos Rios, Philippa Gregory - Opinião

Sinopse: Jacquetta é casada com o Duque de Bedford, regente inglês da França, que lhe dá a conhecer um mundo misterioso de conhecimento e de alquimia. O único amigo de Jacquetta é o escudeiro do duque, Ricardo Woodville, que está a seu lado quando a morte do duque faz dela uma viúva jovem e rica. Os dois tornam-se amantes e casam em segredo, regressando à Inglaterra para servir na corte do jovem monarca Henrique VI, onde Jacquetta vem a ser uma amiga próxima e leal da sua nova rainha. Depressa os Woodville conquistam uma posição no núcleo da corte de Lencastre, apesar de Jacquetta pressentir a crescente ameaça vinda do povo da Inglaterra e o perigo de rivais pretendentes ao trono. Mas nem a coragem e a lealdade dos Woodville bastam para manter no trono a Casa de Lencastre. Jacquetta luta pelo seu rei, pela sua rainha e pela sua filha Isabel, para quem prevê um futuro extraordinário e surpreendente: uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de Iorque

Opinião: Este livro é o 3º da saga "Guerra dos Primos" de Philippa Gregory. No entanto, em termos cronológicos acontece primeiro que as outras histórias e, seguindo os conselhos de vários blogues por essa blogosfera fora, decidi começar a trilogia por ele.

O pior de começar pelo livro que foi escrito por último é que, logo no início, ficamos a conhecer algumas coisas que só acontecerão no seu final, o que tira um pouco de suspende e força à história. De qualquer forma, não me arrependi de ter começado por ele pois fez-me todo o sentido seguir esta ordem da narrativa.

Devo dizer ainda que este foi o 1º livro de Philippa Gregory que li e fiquei apaixonada pela sua obra. A autora é mestre em obras históricas e esta trilogia é prova disso. A linguagem é coerente com a época, os costumes que associam remédios a bruxaria também e é muito interessante seguir esta história e perceber de onde vem aquela que será apelidada de "Rainha Branca" e como a "roda da fortuna gira", como diz Jacquetta. Um dia estamos no nosso auge, no dia seguinte caímos em desgraça. Conhecemos neste livro Jacquetta e o seu valente marido, o amor que os liga e a educação que foi dada aos seus filhos. Conhecemos também a rainha que governava então o país por meio de um rei que não mandava muito, que era traído e que um dia enlouqueceu... mas a casa de Iorque estava à espera desse momento e é essa história que vamos seguir no livro seguinte.

Posso dizer que adorei a escrita, adorei a história, senti-me transportada para aqueles castelos, para a mesquinhez da corte e para os pensamentos tacanhos da época. Sofri com Jacquetta, até porque quem vê o futuro, também sofre por antecipação. E a roda da fortuna não pára de girar...
4,5*
Outros títulos desta saga:
"A Rainha Branca" (Saga Guerra dos Primos Livro 1)
"A Rainha Vermelha" (Saga Guerra dos Primos Livro 2)

Sem comentários:

Enviar um comentário